Home Notícias Cinema Crítica | Os 13 Porquês

Crítica | Os 13 Porquês

0
0

 

A nova série da Netflix, que chega ao serviço de streaming no próximo dia 31, se chama Os 13 Porquês e é baseada em um livro do mesmo nome, que recentemente completou 10 anos.

A série, produzida por ninguém menos do que a rainha Teen Selena Gomez, vai contar a história de Clay, um garoto comum que um dia encontra uma caixa cheia de fitas cassetes em frente a sua casa e quando ele escuta essas fitas, percebe que elas são de Hannah Baker, uma garota que ia a sua escola e acabou de se suicidar.

As 13 fitas na verdade contam histórias com 13 motivos que a levaram ao suicídio. E cada um desses motivos, na verdade, diz respeito a uma pessoa. Então no maior estilo corrente da Samara, Hannah grava as fitas e obriga todos a passarem para o próximo da lista, jurando consequências caso alguém quebre a fila.

A maior parte das pessoas que estão nas fitas fizeram algum tipo de bullying com Hannah ou ajudaram a perpetuar boatos que envolviam a garota, mas Clay aparenta ser o exato oposto disso. Apesar de bastante cego para certas situações, ele tem um ar inocente e inclusive estava apaixonado por ela então o mistério de porque ele estaria nas fitas permanece durante a temporada inteira.

Os episódios da série vão seguir cada uma das histórias dentro dessas fitas, apresentando os seus personagens e tudo que aconteceu para que Hannah tomasse a decisão de se matar. O legal da série, e que se diferencia bastante do livro, é que conhecemos um pouco mais do background de todos esses personagens que de alguma forma se envolveram com a menina, e nos aprofundamos nos dramas pessoais deles, o que é uma ótima adição a trama e permitiu a maior quantidade de episódios para um livro relativamente curto.

Outra mudança que ficou incrível foi a aparição dos pais de Hannah, que estão sofrendo e buscando solucionar o mistério da morte de sua filha. Aliás, os pais são bastante presentes nesse livro, mostrando como toda a pressão e todos os filhos que sucumbem a essa pressão tem também algum motivo em casa. Em um caso de suicídio por conta de Bullying os pais acabam saindo ilesos da culpa pela falta de comunicação do filho, que não contou que estava sofrendo por exemplo. Mas em “Os 13 Porquês” vemos que os pais não se isentam da culpa também, o que é muito bom e envia uma mensagem muito importante.

A série basicamente mostra os adolescentes da nossa geração atual e tudo que eles sofrem na escola, sendo eles muito populares ou os esquisitões. Vemos diversos pontos de vistas e diversas histórias que podem terminar de forma trágica, caso não haja um acompanhamento ou uma ajuda. Parece que quando crescemos tendemos a esquecer tudo aquilo que passamos nos nossos anos de colégio, uns por trauma e outros por negligência mesmo, e acabamos assistindo as mesmas coisas acontecerem de novo e de novo. E “Os 13 Porquês” faz uma declaração muito forte em relação a isso: Não esqueçam, não deixem acontecer. A gente não precisa de mais adolescentes com dificuldades sociais, com problemas psicológicos como ansiedade e depressão e muito menos vidas que se vão muito cedo.

Ao abordar temas tão sério de uma forma tão real e tão crua, sem medo de chocar, sem medo de ser politicamente correto, “Os 13 Porquês” junto com a Netflix mostram o que realmente importa e fazem uma série intensa, pesada e dura, mas muito necessária.

CLIQUE AQUI para assistir um bate papo que fiz com Dylan Minnette, que interpreta o protagonista Clay e Christian Navarro que interpreta o Tony na série.

Comments

Comentários

Alice Aquino Paulistana, fotógrafa, viciada em séries de tv e filmes, não dorme sem o Steve Rogers e o Tony Stark de pelúcia do lado e no tempo livre faz faculdade de Publicidade