Home Editorial Quando Surgiu o Cinto de Utilidades do Batman?
Quando Surgiu o Cinto de Utilidades do Batman?

Quando Surgiu o Cinto de Utilidades do Batman?

0
0

Um dos ícones mais representativos do Batman é o seu cinto de utilidades, sempre um dos primeiros itens a serem lembrados quando falam do Homem Morcego.

A primeira vez que o cinto de utilidades do Batman ganha destaque em suas histórias foi em Detective Comics #29, em 1939, na história “The Bat-Man Meets Doctor Death”, escrita por Gardner Fox, desenhos e arte-final de Bob Kane.

Era a segunda capa do Batman na Detective Comics, e sua terceira história, na qual ele teria seu primeiro encontro com o Dr. Karl Hellfern, o Dr. Morte, que seria seu primeiro inimigo regular.

drdeath-tec29
                                               Quadrinhos de Detective Comics #29 mostrando o Dr. Morte

Na trama, o Dr, Morte quer executar seus planos, mas sabe que Batman irá interferir, e, para tentar matar Batman antes de executar seus intentos, ele coloca um anúncio em um jornal dizendo para o Homem Morcego ir à agência dos Correios pegar uma carta endereçada a John Jones. A carta indica hora e local onde o Dr. Morte estaria.

Bruce Wayne reúne equipamentos para ir ao encalço de Dr. Morte e pela primeira vez aparece colocando cápsulas de gás em seu cinto de utilidades. É nessa história que Batman é ferido pela primeira vez ao levar um tiro no ombro.

bat-cinto-muito

                                                     Batman ferido com um tiro em Detective Comics #29

Hoje, o cinto de Batman possui cerca de trinta itens como; Batarangs, Batgancho, Sequenciador criptográfico, cordas, lançadores de cordas, bolas metálicas, granadas de luz, granadas sônicas, granadas de fumaça, granadas de gás, máscara de gás, rastreadores em formato de morcego, bat-minas, teasers, faca, kit forense, kit de primeiros socorros e até um anel de kriptonita.

Ele não deve ter mais o repelente de tubarão, leia aqui, eu acho.

Comments

Comentários

HQ Café Blog de quadrinhos e cia, para você ler naquela pausa diária do cafezinho!