Home Editorial Capitão América: Guerra Civil – O Que o Filme Tem a Ver Com VOCÊ?
Capitão América: Guerra Civil – O Que o Filme Tem a Ver Com VOCÊ?
0

Capitão América: Guerra Civil – O Que o Filme Tem a Ver Com VOCÊ?

0
0

Uau, hein? Pensa numa perguntinha difícil de responder.

Em primeiro lugar, vamos resumir o que é um herói. E resumir MESMO, porque há muitas formas diferentes de entender este arquétipo. Quê? Não sabe o que é arquétipo? Relaxa. Supernormal. Clica aqui que o tio te explica.

Heroes

Herói ou heroína é todo aquele ou aquela que busca em si o que é necessário para superar um grande problema, um grande mal. A tal Jornada do Herói que você provavelmente já ouviu falar, é mais ou menos isso: O caminho (jornada) entre o surgimento do mal (na forma de vilão, desafio, doença, o que for) e a descoberta da força interior para superá-lo. O Senhor dos Anéis é praticamente uma aula sobre isso.

lordoftherings

Meio que não há como fugir dessa fórmula na hora de criar um herói na ficção. Pensa aí num filme. Matrix, Homem-Aranha, Mad Max, Batman Begins, Indiana Jones, X-Men, Harry Potter, Superman, Jogos Vorazes, Star Wars… A FORMA como a história é contada difere uma da outra, até mesmo a mensagem, mas o gráfico é sempre o mesmo:

O indivíduo comum que, diante de um grande desafio ou missão, é obrigado a procurar em si valores extraordinários (coragem, persistência) para supera-los.

E todos nós superamos grandes problemas durante a vida. É por isso que quase toda história de herói tem um pouco a ver com você. 

editorial

No mundo dos super-heróis, a coisa fica mais fácil de entender. Você bate o olho e meio que intui quem é o herói, quem é o vilão, qual é o problema. Os conflitos exagerados, a postura inabalável, as cores e principalmente os poderes (que podemos interpretar como uma extensão das nossas próprias capacidades), funcionam exatamente como uma metáfora que dialoga com você sem qualquer esforço. Aliás, essa é a graça das histórias de super-heróis: A maneira simples como conceitos difíceis são explicados.

civil war-cortado

Pois bem. Toda arte, cada qual a sua maneira, é uma espécie de espelho que reflete a sociedade de sua época.  E em se tratando de cultura popular (ou cultura de massa), que abrange quase o mundo todo, como as HQs e os filmes de heróis, esse espelho fica ainda maior.

Superman nasceu representando os ideais de verdade e justiça de seu tempo. Homem-Aranha trazia questões sobre poderes e responsabilidade.

superman-e-homem-aranha

E hoje? Como esses heróis estão se adaptando a um mundo cada vez mais dividido e confuso sobre o certo e o errado?  Bem, a resposta pode estar nos dois maiores blockbusters do ano; Batman v Superman: A Origem da Justiça e Capitão América: Guerra Civil.

Em ambos, enxergamos conflitos parecidos: O heroísmo à moda antiga, que preza valores morais e éticos, se contraponto ao heroísmo atual, mais violento, errático, só que eficiente.

supah

Agora, tente trazer isso para dentro do seu cotidiano. Nossa sociedade (e o mundo todo, de certa forma) experimenta uma profunda revisão de valores. A confusão política e econômica que vivemos é também reflexo de uma inquietação interna, tão individual quanto coletiva. Estamos divididos, agressivos e os heróis embarcaram na onda.

ironman

Vivemos em um mundo onde Superman quebra pescoços, Homem de Ferro cria vilões, os Vingadores não se entendem, enquanto anti-heróis psicopatas ganham cada vez mais destaque. Longe de fazer julgamentos aqui. Também curto o Justiceiro. Mas isso dá o que pensar, não dá?

Na década de 1980, enfrentávamos dilemas bastante parecidos e foi quando surgiram algumas das melhores histórias de heróis, como Cavaleiro das Trevas, Watchmen, Piada Mortal e mais uma lista.

É interessante ver como as crises impulsionam boas histórias de heróis. Afinal, é quando mais precisamos deles.

Comments

Comentários

Pedro Ivo "Uma vez eliminado o impossível, o que sobrar, por mais improvável que pareça, só pode ser a verdade."