Home Editorial Eu Joguei, Eu Lembro: Dragon Ball – Final Bout
Eu Joguei, Eu Lembro: Dragon Ball – Final Bout

Eu Joguei, Eu Lembro: Dragon Ball – Final Bout

0
0

Seria um jogo 3D de Dragon Ball tudo aquilo que um jovem queria na década de 90? Seria a resposta pra toda a nossa  sede de combates épicos num traço oriental? São algumas das perguntas que a minha mente faz ao se lembrar de Dragon Ball – Final Bout.

O inicio dos anos 90 foi ótimo para os fãs de Anime que assistiam Cavaleiros do Zodíaco, Shurato, Yu Yu Hakusho e anos depois venho outros como Dragon Ball Z, onde vimos Goku enfrentar adversários poderosos e sua evolução como guerreiro. O anime teve vários jogos de luta e estratégia para Mega Drive e Super Nintendo, no Playstation tive a chance de jogar um dos melhores na época que é Dragon Ball – Final Bout.

Logo de cara tínhamos a abertura do game em forma de anime com os personagens no estilo de traço do Dragon Ball GT, mostrando combates ótimos como Goku vs Freeza, Gohan vs Majin Boo, Piccolo vs Cell e não podia terminar de outra forma com Goku enfrentando Vegeta.

Foi o primeiro game da série em 3D e tínhamos a disposição 10 personagens, sendo que poderia destrancar outros depois de enfrenta-los, mas existia um código para liberar os 7 secretos antes e a tela de seleção do modo de jogo mostrava isso: A normal tinha o Goku usando o uniforme do GT; Goku Super Sayajin com a roupa clássica era apertando direita, esquerda, baixo e cima 2 vezes e liberava 6 personagens; Se depois disso apertasse 5 vezes o triangulo e 9 vezes o quadrado (na versão japonesa) liberava o Goku Super Sayajin 4 que aparecia na tela preparando um Kamehameha.

Dragon_Ball_personagens

Imagine a nossa alegria de poder utilizar todos esses personagens, principalmente o Goku SSJ4

A Jogabilidade era muito boa, podendo fazer algumas sequências de golpes e ataques especiais, mas os controles eram complicados de mexer e o 3D só piorava. Quando soltava um ataque especial tinha a chance de o inimigo lançar outro e ai ficava a disputa. Podia voar como no anime, mas isso deixava os movimentos menos precisos, sendo que nesse momento o melhor era fazer ataques a longa distância.

O personagem tinha duas barras de energia, a de vida e do Ki, tendo que tomar cuidado na quantidade de golpes especiais que aplicava, pois eles gastavam muito Ki e se ficasse vazia seu personagem automaticamente se agachava para se recuperar, ficando vulnerável a um ataque inimigo que podia acabar com a luta. Por isso sempre era bom recarregar o Ki.

Dragon_Ball_Disputa

Mas não podia se afastar muito senão o inimigo te atacava e precisava se virar para não morrer

Algumas lutas eram fáceis e outras mais complicadas, mas a luta final contra o Baby Oozaru era difícil, ele ocupava a tela inteira e alguns golpes tiravam o sangue todo, sem falar que se jogasse no Hard e não perdesse nenhuma luta ia enfrentar o Goku Super Sayajin 4 depois do Baby. Se comparar com os jogos atuais da série descobrimos milhões de defeitos, mesmo assim foi uma boa experiência por poder usar os personagens de uma forma diferente.

Abertura do Game:

Gameplay do Dragon Ball – Final Bout:

Comments

Comentários

Diogo Lopes Bastos Está começando a trilhar seu caminho nesse mundo gigantesco da cultura pop e escrevendo seu primeiro grande roteiro.