Home Editorial Eu Joguei, eu lembro: X-Men 2 – Clone Wars
Eu Joguei, eu lembro: X-Men 2 – Clone Wars

Eu Joguei, eu lembro: X-Men 2 – Clone Wars

0
0

A era dos 16 bits teve uma boa safra de games com personagens de HQs, os mutantes aproveitaram muito bem para marcar seu nome nesse período com X-Men 2: Clone Wars A maior parte do meu conhecimento a respeito dos mutantes vem do desenho dos anos 90, já começava pelo primeiro episódio onde éramos apresentados a nova mutante Jubileu e através dela íamos tendo contato com outros mutantes como: Ciclope, Wolverine, Tempestade, Vampira, Fera, entre outros, além do primeiro confronto com as sentinelas. Isso foi o suficiente para prender minha atenção e acompanhar a série da melhor maneira, a evolução dos personagens e surgimento de novos aliados e inimigos.

A maioria das sagas dos X-Men acabou sendo introduzida na animação como a batalha contra o império Shiar, O Clube do Inferno e da Fênix Negra, dessa forma não precisei correr atrás de HQs para conhecer as maiores histórias do grupo mutante. Com relação aos games meu primeiro contato não foi muito, o primeiro X-Men do Mega Drive achei estranho o esquema de poder usar os suportes e trocar de personagem durante o gameplay, como era muito novo a primeira fase era bem difícil e confusa.

Anos depois vi na locadora o X-Men 2: Clone Wars e decidi dar uma chance e foi uma das melhores coisas que já fiz, o jogo começava de uma forma que nunca tinha visto em nenhum game do Mega Drive, te jogando na ação e o computador selecionava o personagem para jogar. A fase servia como treinamento para conhecer os controles e habilidades do personagem que estava no momento, além de poder dar uma surra em ninjas e robôs, quando a terminava aparecia o símbolo da SEGA e o titulo do jogo.

X_Men 2 Psylocke

Levanta a mão quem dava reset no console para tentar pegar o Wolverine, Ciclope ou Psylocke?

Tínhamos os quatro personagens do jogo anterior (Wolverine, Ciclope, Gambit e Noturno), além de trazer 2 novos: Fera e Psylocke e a cada fase podia mudar o personagem, sem contar que era possível jogar com um amigo desde da fase treino, mas o melhor era a diferença que existia em cada personagem e como isso influenciava na jogabilidade. Ciclope, Gambit e Noturno tinham barras para carregar os ataques especiais e os dois primeiros eram ótimos a longa distância, Wolverine e Psylocke eram os melhores no ataque direto, sem contar que na barra de sangue os dois primeiros riscos eram de cor amarela, quando os possuíamos automaticamente os ataques especiais aumentavam o dano.

As fases também faziam referência ao universo Mutante como a fabrica das Sentinelas onde infelizmente não enfrentava nenhuma, apenas robôs genéricos, apenas no chefão entrávamos em uma (que acredito ser o Molde Mestre) e depois de destruí-lo era o desespero para sair de lá contra o tempo. A fase seguinte era numa base fora da Terra e lá tínhamos que enfrentar soldados que pareciam ser do Império Shiar, no passar dessa área nos deparamos com dois chefões um atrás do outro, Êxodos e Magneto.

A luta com Êxodos é complicada na primeira vez, precisando aprender a ordem dos ataques dele e qual é o melhor personagem contra o mesmo, no meu caso o Ciclope foi a melhor opção por atacar à longa distância, depois de decorar os ataques fica fácil vence-lo. Já com o Magneto bate o desespero de enfrentar um dos piores inimigos dos X-Men, mas entra o mesmo principio do Êxodos, com Noturno não perde tempo destruindo as barreiras e passa rapidamente, ao chegar na ultima tem que ser preciso no teletransporte para não ser atingido pelo ataque dele que destrói a barreira, depois disso é joga-lo numa tubulação.

X Men 2 Magneto

Após essa luta temos uma das maiores surpresas do game que é a chance de controlar Magneto

Lembra que no inicio falei que a primeira fase é um treinamento, posso te garantir que a moleza acabou nela, a dificuldade vai só aumentando em cada fase, com muito inimigos pela tela e tendo que vasculhar para conseguir encontrar sangue, em alguns momentos tem vontade de jogar o controle na parede. Outra dificuldade é você estar limitado a 8 vidas e não consegue ganha mais e sem continue, quando perder a ultima é fim de jogo, pelo menos a sacanagem não é tão grande e você seu amigo tem vidas separadas.

Com o passar dos anos tive a chance de jogar outros games dos mutantes que eram de Beat ‘em Up (X-Men Origins: Wolverine), de luta (X-Men vs Street Fighter) e RPG de ação (X-Men: Destiny). Mesmo assim considero esse um dos melhores jogos dos X-Men lançados, principalmente na era dos 16 Bits, se tiver a oportunidade pegue o jogo, pois é garantia de um grande desafio.

Gameplay do X-Men 2: Clone Wars:

Comments

Comentários

Diogo Lopes Bastos Está começando a trilhar seu caminho nesse mundo gigantesco da cultura pop e escrevendo seu primeiro grande roteiro.