Home Editorial Eu Joguei, Eu Lembro – Black Belt
Eu Joguei, Eu Lembro – Black Belt

Eu Joguei, Eu Lembro – Black Belt

0
0

Black Belt é um game que marcou dezenas de usuários do Master System por ser desafiador e ser a versão genérica do game de um famoso anime.

O Master System sempre foi inferior ao Mega Drive com relação aos gráficos, tempo de duração dos games e um controle bem simples, tanto que muitos games (principalmente os de luta) sofreram cortes drásticos. Mesmo assim o console nos trouxe clássicos que agradavam de diversas maneiras, a principal era a fusão de dificuldade alta com objetivo simples, sem nenhuma complicação, muitos games entram nessa categoria e falo com toda certeza que Black Belt está entre eles.

No game você controlava um Karateca chamado Riki que precisava salvar a namorada (a sinopse de um filme clássico de ação dos anos 80), passando por diversos cenários e enfrentando uma variedade de inimigos e subchefes, após passar por todo esse perrengue chega ao chefe principal, onde parte para um confronto direto com ele e fazer a barra de energia dele ficar vazia.

Na primeira parte fica a dificuldade de aparecer vários inimigos ao mesmo tempo por todos os lados, ficar parado no lugar só facilitava a sua morte, o melhor é sair correndo e não olhar para trás até chegar ao subchefe. A possibilidade de ser atingido era bem grande, sua única salvação era a comida rara que vinha pelo céu ou um item de invencibilidade temporária, se não conseguisse pular no momento certo para pegá-la corria um grande risco de morrer no meio do caminho.

Black Belt Inimigos

Esse era o momento que você começava a ficar desesperado e assim acabava morrendo

Os subchefes tinham habilidades diferentes como tacar machados, utilizar bastões, garras, chicotes ou serem gordos (acho que as produtoras pensavam que por ter uma massa corpórea maior, os gordos agüentavam melhor os golpes) e tiravam uma quantidade maior de sangue. Sem falar que havia o limite de tempo para terminar essa parte, o que o forçava a correr mais que o papa-léguas para termina-la.

O chefe era o mais difícil de todos, você tinha que utilizar todas as habilidades que conhecia (como pular feito um sapo loco) evitando os golpes e empurrando-o na parede para prendê-lo e dar socos e chutes sem parar, caso ele te acerta-se um golpe a chance de ganhar diminuía muito. No ultimo golpe dava uma sequência devastadora que destruía o adversário.

Black Belt Chefe

Você vai sofrer muito para derrotar o chefe, mas ao fazê-lo terá o sentimento de dever cumprido

A parte gráfica não era das melhores, o cenário ao fundo era bem feito, mas os polígonos dos personagens na primeira parte eram bem toscos, só ficava um pouco melhor quando se chegava ao chefe, pois havia um aumento de tamanho nos personagens. A musica do game era bem feita, principalmente a do chefe, mas não havia mudanças nas musicas.

Eu, meus irmãos e primos ficavam revezando a cada morte para ver quem conseguia chegar até o chefe da fase e derrota-lo, foi um desafio conseguir passar da primeira fase, assim como aconteceu com as outras, esse foi a motivação para continuar a joga-lo até terminar de vez.

Agora vem a maior curiosidade sobre esse jogo, ele não é original, mas uma versão pirata do game baseado no anime clássico Hokuto No Ken, onde fez algumas mudanças de cenário, inimigos e trocando o Kenshiro pelo Riki. Comparem:

Gameplay do Hokuto no Ken:

Gameplay do Black Belt:

Comments

Comentários

Diogo Lopes Bastos Está começando a trilhar seu caminho nesse mundo gigantesco da cultura pop e escrevendo seu primeiro grande roteiro.